7 de outubro de 2003

PT lidera lista dos mais influentes do Congresso

O deputado Paulo Delgado é um dos dois únicos parlamentares juizforanos na lista dos 100 mais influentes do Congresso Nacional, divulgada em outubro, pelo Departamento Intersindical […]
17 de setembro de 2003

MP sobre atentados aprovada e destranca pauta

Informes do PT – www.informes.org.br A pauta da Câmara foi destrancada ontem com a aprovação da Medida Provisória nº 126/03. A MP autoriza a União a […]
8 de setembro de 2003

Sombras sobre a ONU

Não há registro de missão de paz tão insegura e frágil quanto essa da ONU no Iraque. A força de imposição e manutenção de paz visa impedir que se perpetuem os ciclos de ódio e animosidade, busca conciliação e mediação. Organiza fronteiras, não as dissolve. Não pode ser vista como parte do conflito.
6 de agosto de 2003

O Desafio de se Construir a Justiça Previdenciária

O Sr. Presidente (João Paulo Cunha) – Concedo a palavra ao nobre deputado Paulo Delgado, que falará a favor da matéria. O Sr. Paulo Delgado (PT-MG) […]
31 de julho de 2003

LEI Nº 10.708, DE 31 DE JULHO DE 2003

Institui o auxílio-reabilitação psicossocial para pacientes acometidos de transtornos mentais egressos de internações. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu […]
15 de junho de 2003

O guardião da virtude

Observando a vida cotidiana e política brasileira, sem ter a superioridade existencial de um Samuel Beckett da magistral descrição do escritor E. M. Cioran, nos Exercícios de Admiração, fico entre espantado e otimista. Diz o romeno a respeito do amigo irlandês: “O tempo que temos para passar na terra não é tão longo para que o utilizemos em outra coisa além de nós mesmos. Esta frase de um poeta se aplica a todo aquele que recusa o extrínseco, o acidente, o outro. A arte inigualável de ser ele mesmo. Coisa difícil de acreditar, e até monstruosa: não fala mal de ninguém, ignora a função higiênica da malevolência. Nunca o ouvi difamar amigos nem inimigos.
3 de abril de 2003

Pedra noventa

O governo Lula vai muito bem e embriaga de soberba os que não conseguem compreendêlo. Até agora, as críticas de ocasião são como prescrições farmacêuticas, destacando-se as oriundas de um certo despaisamento dos ungidos em cultura estrangeira: de um lado o moralismo udenista de classe, de outro a esquerdice de boxeurs sem classe. Em política, o que não é óbvio é bobagem, e a apropriação da legitimidade do poder pelo peso histórico das práticas tradicionais resiste de múltiplas formas, e em todas as áreas, à gestão democrática dos assuntos públicos.
17 de março de 2003

Apocalipse Now?

Fossem os Estados Unidos a China, essa guerra com o Iraque não sairia. Porque sabem os chineses que as fortalezas se conquistam por dentro, com os de casa. A nação americana, que não teme invadir outras nações, só vê riscos em ser invadida, diferentemente da secular história e sabedoria chinesas.
16 de março de 2003

O dilema do prisioneiro

A moralidade política não é apenas uma questão de possuir um conjunto de objetivos e não outros, mas também da relação entre estes objetivos e suas conseqüências para os outros. Não se interessar pelos efeitos dos seus atos é deixar pela metade o ato moral.
15 de março de 2003

Seminário vai avaliar ações do Plano Nacional de Educação

Agência Câmara A Comissão de Educação e Cultura deverá realizar seminário para continuar o processo de avaliação do Plano Nacional de Educação (PNE), com a análise […]
15 de março de 2003

Eles fazem cinema…

Fossem os Estados Unidos a China essa guerra com o Iraque não sairia. Porque sabem os chineses que as fortalezas se conquistam por dentro, com os de casa.
11 de março de 2003

Pronunciamento na Câmara dos Deputados

O SR. PAULO DELGADO (PT-MG. Pronuncia o seguinte discurso.) – Sr. Presidente, Sras. Srs. Deputados, se os contratos com o FMI exigem que o Brasil honre […]
18 de fevereiro de 2003

A decadência da mentira

Oscar Wilde dizia que há somente duas tragédias no mundo: uma é não conseguir o que se deseja, a outra é conseguir. Quando um objetivo é atingido com esforço e perseverança, aí sim começam os verdadeiros desafios. São vários exemplos: o PCI na Itália, o PSOE na Espanha, o PS francês. Partidos que lutaram anos para chegar ao poder e vencer modelos vigentes. Junto com a transformação do sonho eleitoral em realidade, constataram que mudanças não ocorrem por simples desejo dos novos governantes.
6 de abril de 2001

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001

Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço […]
28 de março de 2000

Discurso Paulo Delgado

Sr. Presidente, Deputado Eduardo Jorge, Sra. Deputada Marisa Serrano, autores do requerimento desta sessão solene, senhor Embaixador Jorge Whertein, representante da UNESCO no Brasil, Embaixadores, membros […]